sábado, 4 de novembro de 2017

O Progresso

O Progresso

Pierre Leroy

Ele vinha com um jeito pós-moderno
Muito veloz, astuto e avançado
Esvaziava o conteúdo do moderno
E o anoitecer ficava ensolarado

A necessidade que aparecia todo dia
A novidade cotidianamente urgia
A semente que não crescia
A esperança que morria

O eterno presente era o presente eterno
Agora ele vivia no mundo pós-moderno
O fim da história redescoberto
Uma nova inovação do pensamento moderno

A vilania que se repetia no dia-a-dia
O presente como má companhia
O novo e o velho juntos realmente
O novo e o velho separados idealmente

A verdade que se escondia
A humanidade dominada pela covardia
A tristeza jogada para debaixo do tapete
A única voz era a de muitos em falsete

O moderno, o progresso, o pós-moderno
Nunca mais eu vi um gesto terno
O vil metal se declarou eterno
O interno foi assassinado pelo externo
O externo foi confundido com o interno

Ele dá o grito: sou progressista!
E eu reflito: sou hedonista?
E eu insisto: sou masoquista?
Eu então interdito: não sou nada disto!
Resolvo o conflito: sou marxista!

Revista Poeticus, Ano 04, numero 07, jan./jun. 2017

Poema Torto sobre o Carnaval

Poema Torto sobre o Carnaval

Rubens Vinicius da Silva



Eu, um rapaz do interior
Que morava perto de Blumenau
Ainda nunca havia ido
A um famoso bloco de carnaval.

Debutei foi no Plano Piloto
Brasília, sede do Governo Federal
Muita gente e muita música
Parecia um dia especial.

Mas aos poucos percebi
Que por detrás de confete e purpurina
Havia mesmo era a continuidade
Da cotidiana carnificina.

Vi que bloco de carnaval
É sinônimo de repressão policial
Que a semana de fantasia
Gera falsa alegria coletiva
À serviço da burguesia.

Gostei, não negarei
Foi um espetáculo sem igual
Mas confesso constrangido
Saber não ser o real sentido
De uma festa verdadeiramente especial.

Sua origem é popular
Já foi forma de resistência
Hoje em dia praticamente cooptada
Visando ao aumento da audiência.

Não se trata de desrespeito
Muito menos de indulgência
Para além da resistência
É necessário se auto-organizar
Visando destruir para assim constituir
Uma vida desalienada
Sem semanas controladas
Por aqueles que dominam nossa existência.

Na sociedade comunista
Baseada na autogestão social
Sem classes, sem Estado, sem exploração nem capital
Nenhum ser humano precisará se evadir
E todo o dia será motivo
Para pular e fazer
Um verdadeiro carnaval!


Revista Poeticus, Ano 04, numero 07, jan./jun. 2017 

Revista Poeticus, 07, online

Editorial

Editorial: Arte e Política Texto Completo em PDF
Conselho Editorial 1-5

Poesias

Poema Torto sobre o Carnaval Texto Completo em PDF
Rubens Vinícius da Silva 6-7

Além das possibilidades
Texto Completo em PDF
Valéria Ferreira do Nascimento, Vagner Ferreira do Nascimento 8
Capricho Texto Completo em PDF
Luiz Fernando Pereira de Oliveira 9
Sem Título Texto Completo em PDF
Layla Aires 10-11
Mea Culpa Texto Completo em PDF
Jacques Prévert 12
O Progresso Texto Completo em PDF
Pierre Leroy 13-14

Outras Artes

O cão Texto Completo em PDF
Mateus Vieira Orio 15-17
Cadê meu tempo que estava aqui??? Texto Completo em PDF
Átila de Menezes Lima 18-21

Reflexões sobre Arte


Análise Pictórica, Modos de Ver e Modos de Retratar Texto Completo em PDF
Nildo Viana      

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Revista Espaço Livre 22 online!



A Revista Espaço Livre acaba de publicar a sua 22ª edição com textos de Nildo Viana, Diney Vasco, Eliane de Jesus, Diego De Moraes, Jean Santana e Paul Mattick. Navegue pelo índice da revista e confira mais destalhes em nossa página pelo link abaixo. Por gentileza, divulguem para seus contatos.


v. 11, n. 22 (2016)

Revista Espaço Livre 22


Revista Espaço Livre, vol. 11, num. 22, jul./dez. de 2016.

Edição completa

Ver ou baixar a edição completa REVISTA COMPLETA

Sumário

Apresentação

Apresentação TEXTO COMPLETO
Conselho Editorial 05-07

Artigos

Movimentos Sociais e Movimentos de Classes: semelhanças e diferenças TEXTO COMPLETO
Nildo Viana 08-20
Freudo-Marxismo e Educação: alguns apontamentos a partir do pensamento de Erich Fromm TEXTO COMPLETO
Edinei Oliveira Vasco 21-38
A Ideia de Inserção Presente na Educação de Jovens e Adultos: analisando os caminhos deste discurso TEXTO COMPLETO
Eliane Maria de Jesus 39-49
A Crítica ao Elitismo da Universidade Brasileira por Álvaro Vieira Pinto no “pré-1964” TEXTO COMPLETO
Diego de Moraes Campos 50-60
Capitalismo, Estresse e Doenças TEXTO COMPLETO
Jean Costa Santana 61-65
A Memória Social de um Lugar e Seus Conflitos TEXTO COMPLETO
Edmilson Borges Silva 66-80
Lenine e a Sua Lenda TEXTO COMPLETO
Paul Mattick 81-92


ISSN: 2316-3011  

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Marx e os Movimentos sociais




A Contribuição de Marx para a Teoria dos Movimentos Sociais

Nildo Viana

Resumo


O artigo tematiza a possível contribuição de Karl Marx para a compreensão e análise dos movimentos sociais. Tendo em vista a importância da obra de Marx e sua capacidade explicativa de diversos fenômenos sociais, uma das razões para ser considerado um autor clássico da sociologia, filosofia, e diversas outras áreas do saber, partimos da hipótese de que este pensador traz uma contribuição para a análise dos movimentos sociais. Após alguns comentários sobre como alguns descartaram sua contribuição e como outros a interpretaram, apresentamos as suas principais contribuições para a estruturação de uma teoria dos movimentos sociais. A conclusão é a de que Marx oferece diversas contribuições para uma teoria dos movimentos sociais, desde a metodológica, passando pela teoria da história e do capitalismo, até chegar a alguns apontamentos mais diretos sobre grupos sociais que são base de movimentos sociais.
Palavras-Chave: Marx, Movimentos Sociais, Marxismo, Grupos Sociais, Dialética.

Palavras-chave


Marx, Movimentos Sociais, Marxismo, Grupos Sociais, Dialética.

Texto completo:

TEXTO COMPLETO

domingo, 1 de janeiro de 2017

Análise da Concepção de Karl Jensen sobre os Movimentos Sociais



Karl Jensen e os Movimentos Sociais

Nildo Viana

Resumo


Karl Jensen é um dos raros autores marxistas que busca desenvolver elementos para uma teoria dos movimentos sociais. Qual sua real contribuição para uma abordagem marxista dos movimentos sociais? Em suas Teses sobre os Movimentos Sociais, apresenta uma discussão teórico-conceitual que, embora breve, bastante interessante para compreender a análise marxista dos movimentos sociais. O autor apresenta uma compreensão desenvolvida do marxismo e usa tal domínio teórico para poder analisar os movimentos sociais. O resultado disso é um esboço de teoria dos movimentos sociais numa perspectiva marxista. Contudo, o estágio de “teses” de sua produção mostra que não se trata de uma obra desenvolvida e completa, fundamentada em pesquisas consolidadas. Não constituem uma teoria e sim alguns elementos que, uma vez desenvolvidos, se tornam uma teoria. Isso explica alguns pontos problemáticos em sua análise e que é preciso explicitar e analisar.

Palavras-chave


Marx, Movimentos Sociais, Marxismo, Grupos Sociais, Dialética.

Texto completo:

TEXTO COMPLETO

Revista Posição 12, online!